Educação para o cuidado em DST/HIV/Aids e Hepatites Virais na Região Metropolitana do SUS-RN

proposta educacao permanente

O NESC/UFRN , desde 2009, desenvolve parceria com o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais/MS, visando apoio à gestão para organizar o cuidado nas redes de atenção à saúde no SUS/RN. Várias iniciativas foram desenvolvidas para descentralizar ações e serviços, favorecendo o contexto local para implantação das diretrizes atuais da Política Nacional de DST/HIV/Aids e Hepatites Virais. Esta tem buscado efetivar o processo de descentralização da atenção seguindo as diretrizes do SUS. No contexto atual, a focalização da resposta nacional e a intensificação das estratégias de diagnóstico, prevenção e assistência para populações em situação de maior vulnerabilidade são para aumentar o impacto na qualidade de vida, na sobrevida e na redução da incidência do HIV, Sífilis e outras DST, assim como o uso de diferentes metodologias de testagem, intervenções biomédicas, que considerem a diversidade de cenários. Como perspectivas de operacionalização dessas estratégias busca-se a participação de diferentes pontos de atenção nas linhas do cuidado às DST/HIV/Aids e Hepatites Virais, considerando a complexidade das ações e que as intervenções sejam realizadas de maneira efetiva e oportuna.

A presente proposta visa qualificar trabalhadores da VII Região de Saúde (Metropolitana) do estado do Rio Grande do Norte, na área de DST, HIV/Aids e hepatites virais e medicos inseridos no Provab e “Programa mais médicos” do Ministério da Saude em nível nacional. Essa Região de Saúde inclui a capital, Natal, e os municípios de Parnamirim, Macaíba, São Gonçalo do Amarante e Extremoz; concentra serviços de saúde de atenção básica, especializada, hospitalar, urgência e emergência. Possui 1.187.899 habitantes, correspondendo a 37,5% da população total do estado. Segundo dados da SESAP/RN, em 2013, essa Região notificou 60% de todos os casos de Aids registrados no estado, 49% dos 249 casos notificados de Sifilis em Gestante, e 152 (55,5%) dos 274 casos de Sífilis Congênita. Os dados evidenciam subregistro de Sífilis em Gestante, com consequente ocorrência elevada de Sífilis Congênita. Em 2012, dos 68 casos de Hepatite B notificados, 54% foram nessa Região e 63% dos 79 casos de Hepatite C. Esse quadro justifica a abrangência da proposta na Região Metropolitana para o RN e a utilização de ambiente virtual de aprendizagem para o curso de Manejo Clínico do HIV/Aids e Hepatites virais na Atenção básica é uma demanda do Depto de DST, AIds e hepatites virais, a ser desenvolvido em parceria com a UNASUS.

OBJETIVOS – GERAL: desenvolver processo de educação permanente para o manejo clínico de DST, HIV/AIDS e Hepatites virais, visando qualificar e descentralizar o cuidado nas redes de atenção, com coordenação da atenção básica.

ESPECÍFICOS: a)desenvolver curso para capacitação de trabalhadores da atenção básica para manejo clínico de HIV/AIDS e Hepatites virais, na modalidade à distância (EAD); b)desenvolver capacitação técnica de trabalhadores da atenção básica para manejo clinico das DST, com ênfase em Sífilis; c) desenvolver módulos articuladores envolvendo profissionais da atenção básica, dos demais serviços de saúde e representantes de setores de gestão, distrital e central, para organização de linhas do cuidado em DST, HIV/Aids e Hepatites virais; d)desenvolver articulação dos processos de educação permanente de trabalhadores da saúde com a formação de estudantes de graduação; e)desenvolver recursos educacionais midiáticos relativos ao conteúdo técnico e a partir de vivências no trabalho que estimulem o diálogo entre saberes e a educação permanente entre pares, nos serviços e em espaços virtuais.

METODOLOGIA E PLANO PEDAGÓGICO – Trata-se de proposta de educação permanente a ser realizada a partir de projetos de capacitação de profissionais para o manejo clínico das DST, Sífilis, HIV/Aids e Hepatites virais, associados entre si e articulados à produção de recursos tecnológicos midiáticos e à formação profissional. Articula-se-á qualificação técnica com mudanças nos processos de trabalho. Os planos pedagógicos de cada projeto comporão conteúdos de protocolos assistenciais em vigor e estratégias pedagógicas para análise de processos de trabalho em cada serviço e nas relações interserviços. Adota-se a noção de inseparabilidade entre manejo clínico e gestão do cuidado. Espera-se que a troca de experiências sobre manejo clínico e gestão do cuidado ao usuário possam compor estratégias que potencializem a comunicação entre serviços, o reconhecimento de ser trabalhador e usuário do SUS, e como o trabalho de cada um e de todos implica na qualidade do cuidado ao usuário. Serão três projetos associados para atingir o objetivo geral da proposta. 1 – DCurso para manejo clínico do HIV/AIDS e Hepatites virais na modalidade EAD; 2 – Curso para manejo clínico da Sífilis e outras DST. 3 – Produção audio-visual e construção de redes sociais digitais como recurso pedagógcio na educação permanente em saúde. Nos Cursos ocorrerão ofertas de atividade curricular para graduação, articulando-se formação e trabalho. A proposta terá uma avaliação participativa articulando os diversos projetos, a ser desenvolvido no último semestre, sendo proporcionado um feedback para os participantes e gestores em um seminário de encerramento .

CLIENTELA estimada em 601 profissionais de saúde. Destes, incluem-se profissionais das equipes de saúde da família (Medicos do Provab e Programa mais médicos, de NASF e de outros serviços (SAE, Maternidades, CAPS, etc).

GESTÃO E ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAIS- Colegiado Gestor, composto por coordenação geral, coordenação adjunta e 03 coordenações técnicas, um por projeto; Conselho de Gestão composto por integrantes do Colegiado e mais seis integrantes – cinco indicados por cada município e um pela gestão estadual. O Conselho acompanhará e pactuará encaminhamentos para a execução da proposta. Essa foi pactuada na CIR da VII Região de Saúde em reunião no dia 27/05/2014, com emissão de carta de anuência de cada gestor de modo a vir se constituir um compromisso institucional de cada município e da CIR. O curso sobre o manejo do HIV na AB será desenvolvido em parceria com a UNASUS.

Conheça a página da proposta no Facebook: Educação para o cuidado em DST/HIV/Aids e Hepatites virais

Anúncios

Sobre Juciano Lacerda

Juciano de Sousa Lacerda é professor do Curso de Comunicação Social e do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia da UFRN. Coordena o LAPECCOS - Laboratório de Pesquisa e Estudos em Comunicação Comunitária e Saúde Coletiva. É membro fundador do INPECC - Instituto Nacional de Pesquisa em Comunicação Comunitária (LECC-UFRJ/LAPECCOS-UFRN/LACCOPS-UFF). Integra os Grupos de Pesquisa PRAGMA/UFRN e Processocom/Unisinos. É membro do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC-UFRN). É pesquisador da Rede Amlat (Brasil/Venezuela/Equador/Argentina). É Vice-Coordenador do GP Comunicação e Cidadania da Compós (2017-2018). Foi Coordenador do GP Comunicação para a Cidadania da INTERCOM (2013-14).
Esse post foi publicado em Sem Categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s