Reunião de pequisa, em pauta: Comunicação e Cidadania

Por Cibelle Avelino, João Rodrigo Costa e Pedro Filgueira.
Estudantes de Rádio e TV (UFRN), em fase de elaboração de TCC.

No dia 06 de agosto de 2010, os orientandos do professor Juciano Lacerda, integrantes do Grupo de Pesquisa PRAGMA (Pesquisa Pragmática da Comunicação e da Mídia), se reuniram com intuito de realizar uma discussão sobre o tema Comunicação e Cidadania, como parte das atividades de ensino, da ação acadêmica associada coordenada por Lacerda. Foram discutidos os textos “Comunicação, poder e cidadania” e “A idéia de cidadania através do jornalismo da rádio comunitária Bacanga FM”, dos autores Venício Arthur de Lima e Wesley Pereira, respectivamente. O primeiro servira de referência para uma palestra do professor Venício de Lima na abertura da Semana Acadêmica de Comunicação Social, em Joinville, abrangendo conceitos globais e o segundo é fruto de uma pesquisa de recepção com ouvintes da rádio comunitária Bacanga FM, em São Luíz do Maranhão. Com o debate, bolsistas e orientandos, sob direção do professor Dr. Juciano Lacerda, puderam empoderar-se mais em temas como comunicação alternativa e comunitária, democracia, poder político, globalização, cidadania, além de conhecer a experiência da rádio Bacanga.

“Comunicação, poder e cidadania” conceitua os termos que dão título ao texto colocando questões da comunicação como a da convergência, ou revolução, digital, onde as tecnologias estão se reduzindo à uma só e o poder político e econômico que as grandes empresas de mídia e telecomunicações estão constituindo a partir das crescentes aquisições, fusões e joint ventures que estre processo desencadeia; do poder político que deve cuidar do “público”, definido em dois aspectos complementares: um como oposição ao privado, coisas do Estado, res pública; e outro como contrário ao que é secreto.  O autor relaciona o campo político, intrinsecamente ligado à aquisição e exercício do poder simbólico, com a capacidade de intervir nos acontecimentos através da influência, ou seja, da mídia.

Já GRIJÓ e FERREIRA abordam o tema da cidadania a partir da percepção popular dos ouvintes da rádio Bacanga FM. Inicialmente, é feito um breve histórico da radiodifusão comunitária no Brasil, onde esta é apresentada como alternativa ao modelo hegemônico vigente. O levantamento remonta aos anos 90, com a aprovação da lei 9.612/98, que regulamenta as rádios comunitárias e tal feito é visto como um grande avanço democrático, sendo chamado, inclusive, de “reforma agrária do ar”. Neste ponto foi feita uma análise crítica, visto que a regulamentação tem inúmeros limites, principalmente no que se refere à lentidão, por parte do Estado, na liberações de concessões.

Os autores apresentam conceitos de cidadania que, inclusive, batem, em alguns pontos, com o trabalhado por Venício de Lima, quando eles também buscam aporte em DAMATTA. Como destaque, observou-se o contraponto entre a visão de cidadania nos meios sociais mais abastados, geralmente ligada a direitos humanos e do consumidor, e nos populares, onde a cidadania está ligada aos anseios mais cotidianos de quem sofre no corpo às negações de seus direitos. É neste contexto que a comunicação comunitária se insere, servindo à comunidade na partilha das informações pertinentes àquele povo, partindo daquele povo. Esta observação é comprovada quando a pesquisa conclui que “os ouvintes sentem que seus interesses são contemplados na Rádio Bacanga, o que eles não percebem nas emissoras comerciais”.

Anúncios

Sobre Juciano Lacerda

Juciano de Sousa Lacerda é professor do Curso de Comunicação Social e do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia da UFRN. Coordena o LAPECCOS - Laboratório de Pesquisa e Estudos em Comunicação Comunitária e Saúde Coletiva. É membro fundador do INPECC - Instituto Nacional de Pesquisa em Comunicação Comunitária (LECC-UFRJ/LAPECCOS-UFRN/LACCOPS-UFF). Integra os Grupos de Pesquisa PRAGMA/UFRN e Processocom/Unisinos. É membro do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC-UFRN). É pesquisador da Rede Amlat (Brasil/Venezuela/Equador/Argentina). É Vice-Coordenador do GP Comunicação e Cidadania da Compós (2017-2018). Foi Coordenador do GP Comunicação para a Cidadania da INTERCOM (2013-14).
Esse post foi publicado em Cidadania e Cultura, Comunicação Comunitária, Eventos Científicos, Relatos de Experiências e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s